headerphoto

Servidores,

 Ontem estivemos na reunião de apresentação do Governo  e sindicados para os servidores do SLU sobre os resultados do Grupo de trabalho de reestruturação da carreira do SLU.

Conclusões:
- Os 4 mil servidores ativos e inativos do SLU, serão transpostos para nossa carreira.
- O cargo de assistente criado para nossa carreira receberá os servidores do SLU do cargo de assistente de resíduos;
- O cargo de Gestor receberá os atuais analistas de resíduos;
- O cargo de Técnico receberá os atuais agentes de resíduos.
-Inicialmente será feito uma reestruturação da carreira do SLU para um devido enquadramento de tabelas (classes e padrões).
- Previsto para janeiro de 2014, projeto de lei de transposição da carreira de Resíduos Sólidos para a carreira de Políticas Públicas.

Fica a seguinte pergunta. Quando os Sindicatos (Sindireta e Sindser) vão apresentar para nossa carreira toda essa negociata que estão fazendo que diz respeito diretamente a nossas vidas funcionais?

Que fique bem claro que não temos nada contra os servidores do SLU. A grande dúvida é se essa solução apresentada é a melhor para as duas carreiras.

ASCAP

Terça, 30 Novembro 1999 00:00

Transposição SLUx PPGG

Servidores,

Amanhã às 9:00 no auditório do Taguapark, ocorrerá uma reunião entre, SEAP, Sindicatos e servidores do SLU, onde a pauta é a transposição dos servidores do SLU para a carreira de PPGG. Convidamos à todos aqueles que realmente se interessem pela defesa da carreira, que compareçam neste seminário.

ASCAP

Quinta, 12 Setembro 2013 19:31

Apresentação de Títulos

Servidores,

Fica como sugestão aos que concluíram algum curso, a imediata apresentação do respectivo título para concessão de GTIT.

ASCAP.

Quinta, 12 Setembro 2013 15:10

Aprovado Pl 1604/13

Servidores,

Foi aprovado ontem na CLDF, Projeto de lei 1604 que reestrutura a carreira de Políticas Públicas e dá outras providências. Agora é aguardar a assintura do Governador.

ASCAP

Terça, 30 Novembro 1999 00:00

PL na CLDF – Nota de Esclarecimento ASCAP

PL na CLDF – Nota de Esclarecimento ASCAP

Brasília, 29 de agosto de 2013.

Primeiramente, a ASCAP esclarece que no último dia 27 de agosto o Governador Agnelo assinou 22 Projetos de Lei de reestruturação de 22 carreiras do serviço público, inclusive o projeto criado pela SEAP para a nossa Carreira PPGG. Diante do exposto a ASCAP esclarece que: NÃO ARTICULARÁ PARA PROCRASTINAR O TRÂMITE DO PL; NÃO PROPORÁ EMENDAS (aos Deputados) AO PL; e NÃO PROPORÁ (aos Deputados) VETOS AO PL. Enfim, o TRATOR passou e a ASCAP se exime de qualquer interferência ao PL da nossa Carreira PPGG naquela CLDF. Fique claro.

Isso posto, e claro, e sabendo que para “bom entendedor, meia palavra basta”, passemos a esclarecer os fatos, sem cobrirmos a indignação e sobriedade com o manto da simplicidade e inocência.

Após 32 meses de mandato deste governo, lembrando que apenas restam 16 meses para findar-se, a SEAP criou o seu PL para a Carreira PPGG. Foram 32 meses sofridos, desgastantes, com clara percepção de que aquela pasta nutria exponencial ausência de fundamentos para PENSAR gestão de carreira e também nutria abissal ausência de CRITÉRIOS norteadores de uma consolidada política de Estado para nós servidores PPGG, partindo do princípio de que os agentes políticos passam, mas nós servidores somos instrumentos perenes de continuação do Estado.

Outrora destacamos em nosso site: “Com a SEAP, as perguntas e questionamentos sobre uma real política de gestão de carreira, longe de se desvanecerem, aumentaram de tom, de preocupação. Recrudesceu o terror de fundo espúrio, voltaram as ditaduras disfarçadas de democracia. A Carreira PPGG está com medo. Absolutizou-se o relativo e relativizou-se o absoluto. E não é apenas exercício de filosofia. É alerta geral, mesmo. As perguntas e incompreensões continuam a martelar na mente e no coração das mais de 11 mil famílias”.

A ASCAP foi para luta. Levantamos bases teóricas e práticas, aglutinamos diferenças, demonstramos as incoerências, fomos para os debates preparados, fizemos pesquisas profícuas e capazes de enriquecer a missão e relevância da Carreira PPGG para o Estado. O governo absolutizou o seu tom com tanta proeminência que recebeu em resposta a MAIOR MOBILIZAÇÃO REALIZADA PELA CARREIRA PPGG, com a caminhada pelo Eixo Monumental e mobilização em frente ao Palácio do Buriti, registrada para a história. Esta mobilização dos servidores da Carreira PPGG foi tão notável que fez com que um Secretário de Estado subisse ao carro de som para desfazer a ditadura disfarçada de democracia imposta pela sua própria pasta, e se fez garantir que as conquistas outrora alcançadas não seriam dizimadas.

Se o temor, enquanto zela pela segurança, detesta os acontecimentos insólitos e inesperados, então, não fomos tomados de assalto quando a SEAP gerou o seu unilateral PL final para a Carreira PPGG.

E aqui registramos algumas questões pontuais que nos debates – de faz de contas para o governo – destacávamos com seriedade as nossas posições contrárias no desbriado PL:

1º) Nossa contrariedade à criação de mais um cargo dentro da Carreira, o ASSISTENTE, uma vez que possuímos o Técnico PPGG com a mesma escolaridade (nível médio) e capaz de, com as atribuições modernizadas, exercer a função com louvor, valorizando os servidores que hoje estão em atividade e contratando (concurso público) novos servidores Técnicos PPGG para somar às atividades existentes para o cargo. Trata-se de uma promoção ao inchaço e à substituição de atribuições à Carreira PPGG por parte da SEAP. (Art. 2º - PL).

2º) Nossa contrariedade à alteração de nomenclatura para os cargos, uma vez que o nosso cargo de Especialista PPGG recebia a mesma nomenclatura de cargo do Governo Federal e, então, poderíamos evocar as mesmas prerrogativas funcionais e salariais (com paridade) ofertadas naquela esfera; os Analistas e Técnicos PPGG acompanhariam a cadeia complementar de execução das atividades, nas suas devidas proporções. Trata-se de uma retirada de identidade e paridade à Carreira PPGG por parte da SEAP. (Art. 3º - PL).

3º) Nossa contrariedade em não estabelecer critérios para ingresso (concurso público) nos cargos de Analista e Técnico PPGG, visto que estes cargos denotam norma legal de eficácia jurídica plena, contida na Lei nº 4.517 de 28 de outubro de 2010, como norma auto-executável ou bastante em si, pois contém todos os elementos necessários para a pronta e integral aplicabilidade dos efeitos que dela se esperam. Trata-se de uma abnegação e letargia à Carreira PPGG por parte da SEAP. (DO INGRESSO NA CARREIRA - PL).

4º) Nossa contrariedade em ser evasivo e escuso os critérios que ainda serão adotados para a mobilidade de servidores nos órgãos, por ato ainda a ser editado pelo órgão gestor da carreira (SEAP). Trata-se de uma insegurança e aflição geradas aos servidores por aguardar uma normatização unilateral da SEAP em matéria delicada. (Art. 8º - PL).

5º) Nossa contrariedade em trazer à luz critérios desiguais de jornada de trabalho entre os atuais ocupantes da Carreira PPGG e os que ingressarão. Revela-se um tratamento desigual aos iguais, promovendo possível embate jurídico que acarretará: ou a possibilidade de redução de jornada para os que ingressarem, ou a exclusão de redução para os atuais, o que em ambos os casos ensejaria um tratamento igual aos iguais. Trata-se de um holofote por parte da SEAP à conquista de jornada reduzida pela Carreira PPGG e que poderá resultar, em breve, em embate judicial e possivelmente prejuízo à carreira. (Art. 11 - PL).

6º) Nossa contrariedade em relação as atribuições. Uma vez que tínhamos referência e parâmetro para o nosso Especialista PPGG no Governo Federal e que, nesta esfera, os servidores desempenham atribuições relevantes, de notório saber, deveríamos adotar as atribuições deles aplicadas apenas à nossa realidade regional, sem mais, nem menos. E, por conseguinte, o Analista e Técnico PPGG participariam em seus níveis de atuação das formulações propostas pelos Especialistas PPGG. Trata-se de uma retirada de identidade e paridade à Carreira PPGG por parte da SEAP. (DAS ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS).

7º) Nossa contrariedade em relação à ESTRUTURA DE REMUNERAÇÃO. A SEAP deste Governo Agnelo deixou registrada na história da Carreira PPGG (cerca de 11 mil famílias), pela primeira vez, a desincompatibilização das tabelas (em uma etimologia neologista, mas de fácil compreensão) de cargos de uma mesma carreira. Tal atitude – em contramão a toda literatura e práticas modernas adotadas em carreiras NO BRASIL – revela a grande inabilidade e incapacidade de definições de regras críveis de gestão de carreira pela SEAP (aqui, não trabalharemos com a hipótese de má fé. Fiquemos, pois, com a hipótese de ineficiência em PENSAR, por parecer a mais crível). Enquanto que em carreiras de destaque no cenário Nacional e, pasmem, até em carreiras importantes do GDF, se tem em uma carreira um cargo topo de tabela e um outro que ganha 70% do cargo topo, outro cargo 60% do cargo topo, isto é, seguindo este escopo proporcional... Enfim, uma compatibilização proporcional que revela dinamismo e integração de função da cadeia produtiva dos cargos, além do próprio fortalecimento da carreira como CONJUNTO, a SEAP deste Governo rasgou o manual de excelência (talvez não o tivesse, ou nem o quisesse ter) usado pelos Governos e Carreiras de excelência e protagonizou um precedente no GDF, desincompatibilização das tabelas de cargos de uma mesma carreira. Se um cargo só começa a ganhar quando o outro cargo termina (fato introduzido pela SEAP deste Governo), para o nosso Técnico PPGG ter uma remuneração decente, os Analistas PPGG deveriam ganhar o dobro do que está na tabela do PL e, os Especialistas PPGG deveriam ganhar como os Ministros do STF. Enfim, parece que na cabeça dos técnicos da SEAP vingou a máxima:Farinha pouca, meu pirão primeiro” (lembrem-se, para bom entendedor, meia palavra basta). E isso para nós (ASCAP) não é gestão de carreira, não é se preocupar com o Estado, não é se preocupar com as famílias, não é buscar ser justo, não é ser coerente, não é ser decente, não é ser leal, não é compatível com o que acreditamos e sonhamos para impactar na vida daqueles que diariamente convivem conosco, sejam eles dos três cargos. (DA ESTRUTURA DE REMUNERAÇÃO/TABELA (ANEXOS) - PL).

Os frutos do PL serão colhidos em breve. Demos a este governo não apenas o bônus (caso exista), mas também o ônus.

Aguardaremos (ASCAP), pois, a tramitação normal do PL na CLDF para começarmos uma nova frente de planejamento de ideais.

Fiquemos, todos, atentos para não ocorrer manobras estranhas na CLDF, sobretudo, afetas a inserções de outras carreiras na nossa Carreira PPGG, tão e somente.

A ASCAP sai desse processo, fortalecida. Conseguimos inserir a Carreira PPGG nos debates com o governo, demonstramos nossa força e luta como Carreira e deixamos registrado o nosso legado intangível e digno: buscamos ser justos, pois nos três cargos existem famílias e defenderemos sempre os três cargos, sem, contudo, melhorar um em detrimento do prejuízo do outro, ou prejudicar um, em detrimento da melhoria do outro.

Após estas constatações e registros, a ASCAP agradece a todos os servidores desta Carreira PPGG que participaram dos debates, mobilizações, assembleias, que contribuíram explicitamente ou de outra forma, e os que devotaram suas aspirações na atuação da associação. Agradecemos, também, aos servidores que diariamente interpelam os membros da Diretoria da ASCAP com proposições, ideias e cumprimentos quanto à nossa forma de agir e pensar.

Exortamos aos servidores da Carreira PPGG à consciência quanto ao processo eleitoral que se aproxima em 2014 no Distrito Federal.

Filie-se à ASCAP e faça parte da nossa luta por uma Carreira de Políticas Públicas e Gestão Governamental forte e consolidada no Governo do Distrito Federal.

                                                         

Terça, 30 Novembro 1999 00:00

Projeto final apresentado pela SEAP

Servidores,

 

 Segue enexo, o projeto final apresentado pela SEAP.

ASCAP

 

 

Venderam a Torre Eiffel. Duas vezes e não vão vender a PPGG!?

A arte é milenar e teve seus Beethovens e Mozarts, mas eis a história do homem que é considerado o Jimmy Hendrix da conversa fiada: Victor Lustig, que com 45 pseudônimos conhecidos e tendo evadido a prisão ou detenção quase 50 vezes é definitivamente o conde do óleo de peroba, tendo enganado, inclusive, Al Capone.

Não nasceu bandido: originário da atual República Tcheca e filho do prefeito da cidade de Hostigg, não tinha motivo para entrar no mundo do crime e era descrito como particularmente inteligente, embora sempre tivesse um talento pra se meter em problemas. Aos 19 anos começou a jogar poker e bilhar, e não muito tempo depois largou a escola e passou a cometer pequenas fraudes sob diferentes pseudônimos por toda a Europa.

Nos anos antecedentes a Primeira Guerra Mundial seu golpe favorito era viajar a bordo de grandes cruzeiros na rota Londres-NY e vender aos ricões do navio uma máquina de copiar dinheiro. Isso mesmo, por módicos 30 mil dólares (aproximadamente 250mil Obamas em dinheiro atual) o comprador adquiria uma caixa com vários mecanismos complexos que, a cada seis horas, era capaz de copiar uma nota de 100 dólares. Investimento bom, não fosse uma caixa preparada com duas ou três notas verdadeiras, o que daria a Victor cerca de 24 horas para sumir antes que percebessem que algo estava errado.

Certa vez Lustig foi preso em Oklahoma por outra fraude e, numa improvisação maestral, ofereceu ao xerife um “desconto especial” em sua maquina de copiar dinheiro: o xerife poderia comprar a maquina por uma bagatela de 10 mil dólares e deixaria Lustig sair livre. O xerife concordou, mas logo percebeu que tinha sido enganado e achou o golpista 8 meses depois em Chicago. Com uma arma apontada para seu rosto, Lustig conseguiu convencer o xerife de que ele havia operado a maquina incorretamente, e devolveu os 10 mil dólares para provar que era uma pessoa integra e ética. Pouco tempo depois o xerife foi preso por passar notas de 100 dólares falsas, obviamente originárias de Lustig.

Mas o cúmulo foi o golpe da Torre Eiffel. Lustig raciocinou que, sendo o ano de 1925, o governo francês ainda precisava pagar as enormes contas da guerra de sete anos antes, e dado que a Torre Eiffel jamais tinha sido planejada como uma construção permanente poderia surgir a ideia de vendê-la como sucata. Fingindo-se de oficial do governo, reuniu cinco donos de ferro-velho e simulou uma espécie de leilão, e num toque de classe. O “vencedor” suspeitou da coisa toda, mas Lustig então fez algo que o legitimou como oficial do governo: pediu um suborno. Tudo se acertou e o acordo foi concluído. A pobre vítima, quando descobriu tudo, ficou tão envergonhada que sequer contatou a polícia.

Um mês depois, como se não bastasse, Victor Lustig tentou o golpe de novo, e colou, só que dessa vez o enganado não teve vergonha nenhuma: foi a polícia e o caso caiu na imprensa, fazendo com que Lustig fugisse as pressas para os EUA.

Uma hora sua sorte acabou. A fim de investigar um enorme fluxo de notas falsas o Serviço Secreto americano montou uma força-tarefa para investigar o caso, e Lustig foi preso. Desafiador até o fim escapou um dia antes do seu julgamento, muito embora sua prisão fosse considerada inescapável. Recapturado 30 dias depois, foi julgado e condenado há 15 anos em Alcatraz e mais 5 anos por seu truque de escapismo. Doze anos depois contraiu pneumonia e morreu.

O texto retrata um episódio real do século passado onde a ganância cegava os oportunistas, diante de uma oportunidade única de levar vantagens financeiras em negócios mirabolantes. Século XXI e o golpe reaparece na praça com cara e objetivos novos, mas a proporção é digna de comparação.

Veja a nossa carreira como uma verdadeira Torre Eiffel, linda, forte, imponente e cheia de possibilidades de ganhos caso você compre-a. Pode explorar o turismo de visitação a torre, o comércio ao redor, vender fotos do monumento ou até mesmo vendê-la com sucata caso você seja um dono de ferro velho.

É exatamente isso que estão fazendo com nossa carreira. Estão nos vendendo como uma torre Eiffel para várias outras carreiras do DF. Estão nos vendendo como lindos, cheios de virtudes e sem problemas, que temos um plano de carreira forte, estruturado e com ótimos salários. Fomos oferecidos como uma Torre Eiffel para os servidores da SLU, Fazendários, Atividades Culturais, Apoio a Polícia Civil e tantos outros que ainda não descobrimos.

Estão nos vendendo, estão nos leiloando como um objeto de desejo, como uma obra de arte rara que por muitos anos estivera desaparecida. Temos sim nosso valor, mas não podemos aceitar este leilão podre, ilegal, imoral e totalmente desrespeitoso que estão fazendo com nossa carreira. Precisaremos estar unidos, longes de nossas vaidades para juntos não permitirmos o fim desta tão valorosa carreira que a muito custo, estamos tentando melhorar.

Algumas batalhas foram vencidas, precisamos encaminhar o nosso projeto de Lei para CLDF e estarmos vigilantes as atividades sorrateiras deste Lustig transvestido de Governo na tentativa de vender uma nova Torre Eiffel enganando os compradores ou nos venderem para depois nos fazerem de sucata.

ASCAP

Texto adaptado de http://rafaelhide.com.br/victor-lustig-o-homem-que-vendeu-a-torre-eiffel-duas-vezes

Servidores,

 Segue em anexo, tabela comparativa de percentuais de reajustes propostos ano a ano.

ASCAP

 

Terça, 30 Novembro 1999 00:00

Projetos PPGG

Servidores,

Recebemos  a minuta do projeto de Lei. São duas versões que precisam ser lidas, comparadas e apontadas as diferenças. LEIAM com muita atenção, comparem e aguardamos o retorno de Vocês.

 

ASCAP

 

Terça, 30 Novembro 1999 00:00

SLU aprova vinda para PPGG

Servidores,

Os servidores do SLU aprovaram em assembleia do SINDSER hoje, a vinda de 4 mil servidores para a Carreira de PPGG. Que fique bem claro que não temos nada contra nenhum servidor de qualquer carreira do DF, o problema é que não contaram para eles é demais carreiras do DF que teremos muito em breve uma carreira de 30 mil servidores.

O grande encantamento da vinda desses servidores é a tabela proposta para PPGG. O remédio para evitarmos essa debandada geral das carreiras é só uma, mas depende só de você servidor!

Outra coisa, o projeto ainda não foi apresentado aguardando as assembleias das carreiras que vão voltar.

ASCAP

<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Próximo > Fim >>
Página 8 de 11